• Treinamento Cerebral Ajuda A Prevenir Alzheimer

    Saiba como o treinamento pode ajudar na prevenção dessa doença.

De acordo com Alzheimer’s Disease International (ADI), o crescimento da incidência do Alzheimer entre idosos praticamente dobra a cada 20 anos. A previsão da instituição é que o número de pessoas atingidas no mundo, pela doença, chegue a 65,7 milhões em 2030. Um dos principais efeitos é a perda da memória e de algumas funções cognitivas.

Apesar de ainda não existir uma cura para a doença, uma das formas de prevenir e retardar o seu avanço é através do treinamento cerebral. 

Já sabíamos que ouvir música clássica ativa genes associados à atividade cerebral, e que a música reduz a atividade dos genes envolvidos na neurodegeneração, normalmente envolvida em doenças como Alzheimer e Parkinson, entre várias outras.

O método BrainRx aumenta a capacidade de aprendizado, leitura e memória. Criado nos Estados Unidos, o método é hoje aplicado através de uma rede internacional de treinamento cerebral. Disponível em 22 países, agora essa metodologia também está presente no Brasil.

Segundo Vivian Polikar, psicóloga licenciada para aplicar o método, BrainRx é um programa personalizado, destinado principalmente a ajudar pessoas com dificuldades no aprendizado e idosos que estão perdendo a memória e funções cognitivas. Através de jogos e atividades, estimula-se e treina-se o cérebro, em diferentes níveis de complexidade, desenvolvendo habilidades como processamento visual e auditivo, raciocínio lógico, velocidade de processamento, concentração, entre outras.

O treinamento é iniciado após a aplicação de um teste que identifica as áreas em que a pessoa tem mais dificuldade. Depois disso, as aulas individuais acontecem cerca de três vezes por semana com duração de 1h30, por no mínimo três meses. “Após esse diagnóstico, ajustamos o treinamento para trabalhar as dificuldades do cliente. Os resultados são observados rapidamente. É bacana perceber a reação da família que, em muitos casos, conta que a pessoa passa até a ficar mais sociável, pois antes se sentia insegura devido à dificuldade que enfrentava”, explica.

Com dificuldade de memorização e muita confusão mental, Dona Regina Zilber, de 81 anos, iniciou o treinamento e os progressos foram rápidos. Atualmente, ela continua a fazer as sessões de forma preventiva. O trabalho foi essencial para a minha recuperação. Minha memória melhorou, fiquei mais esperta, confiante e ativa para todas as atividades do meu dia a dia”, conta Dona Regina, que já faz o programa a mais de um ano.


Fonte: Vida Plena e Bem Estar


  • Cadastre-se para receber notícias

    Digite seu e-mail abaixo